terça-feira, 16 de junho de 2009

Para Odara Freitas: de Lana Gabriela

Goiânia, 05 de junho de 2009.


Minha cara amiguinha,

Não sei bem o que escrever nesta carta. Acabei de almoçar apressadamente em uma cidade chamada Gurupi, são 14 horas e eu resolvi escrever-lhe estas poucas palavras antes de começar a estudar.
Bom, a viagem está sendo muito boa, apenas um pouco cansativa. Afff, de São Luís até Goiânia são 32 horas, mas as pessoas que estão indo são legais e por isso está sendo muito agradável.
Passamos a manhã inteira brincando de mímica e a noite passada cantando música sertaneja (afinal temos que entrar no clima da cidade né? rsrsrs)... lembrei muito de vocês (Você, Nathy, Denise e Donny). Aliás, tenho pensado muito em todos nós desde a noite passada (houve um acidente na estrada e eu não consegui dormir)...Sinto muitas saudades. Gostaria de ter me despedido melhor e já tive vontade de nem ter vindo, mas admito que estou também ansiosa pelo início do congresso. Dizem que lá está 5º C. Ahhhhhhhhhhhhhhh.
Desde de segunda - feira já sabia quem seria a pessoa a quem destinaria a minha primeira carta: VOCÊ. Talvez por ser a pessoa com quem mais me identifico no grupo e que hoje posso afirmar que encontra-se num grupo que amigos meus que jamais esquecerei.
Acho que este tempo afastada serviu para avaliar melhor cada um de nós. Dara, vejo você como uma pessoa extremamente lutadora, de uma personalidade incrível e que me parece nunca desistir de seu objetivo, seja ele qual for.
Lembro-me com bastante nitidez (mais do que eu gostaria até) daquele show de Zeca Baleiro. De como você me disse que montaria um espetáculo com suas músicas, e daí surgiu o pRes(s)Sente. Naquele momento confesso, jamais me passou pela cabeça que este trabalho ganharia a amplitude que ganhou, nem que eu fosse vivenciá-lo de tal forma, e muito menos que ele seria o responsável por hoje, eu estar escrevendo esta carta. Acho que enganei-me quando pensei que não daria certo, e que você estava esperando demais de um grupo que nunca havia trabalhado junto. Mas isso define tão claramente você, que imagina algo que parece irreal e que consegue de algum modo transforma-lo em realidade e no final nem parece que haveria alguma chance de dar errado.
Mesmo com esse poder, eu vejo você como uma pessoa frágil, e sei que neste percurso de correr atrás de objetivos tiveram vezes que você, não achou que não daria certo, mas achou talvez que não tivesse força para continuar mantendo-se firme e a todos nós. Mas, mesmo assim você o fez.
Vejo em você uma pessoa extremamente preocupada com todos nós, como uma mãe. Sempre disposta a ouvir, sempre arrumando formas de nos manter confiantes e dispostos (seja levando comida, seja dando broncas, que são palavras duras (verdades - afinal você não é baú, não é mesmo?), mas que precisam ser ditas para o bem de todos nós.
Apesar de não deixar transparecer nada (ou ao menos tentar) sei que existe uma Odara frágil dentro de você, e que assim como toda mulher necessita de carinho e atenção (apesar de ser bem discreta com relação a isso, ou talvez eu a conheça muito pouco ainda para detectar).
No mais, sem mais nada a falar, só posso agradecer. Agradecer por todas as conversas, pelas roupas (rsrsrrs acho que vou precisar) e pela amizade (principalmente por esta). Enfim, obrigada por sanares a maior parte de minha solidão. Ela é tão grande!!!!
Abraços e beijos. Saudosamente Lana Gabriela.

2 comentários:

  1. Miguinha... Ainda que sussinta consigo sentir tua verdade, tá?! Bjoo

    ResponderExcluir
  2. ah, é tão fácil escrever sobre você, !!!!

    ResponderExcluir